Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

AO MEU AMOR

Ao Meu Amor

Quero que saibas que não foi naquele
ou neste momento que te pertenci:
Quando me tivestes nos teus braços
e me abraçavas ou me beijas agora;
Mas quando minha alma cantou de alegria
E meu espírito surgiu novo, livre.
De quieta, pudica, prudente,
passei a viver meu EU que ora se liberta.
Quero que saibas que não foi naquele
ou neste momento que te pertenci:
Quando descobri sua extrema sensibilidade,
sua ternura, seu caráter bondoso;
Nem quando conhecestes as minhas dúvidas,
minhas derrotas, minhas lágrimas;
Ou quando soubemos que
nem sempre os teus pensamentos
são os meus pensamentos,
Nem os teus caminhos
são os meus caminhos,
nem os teus sonhos
são os meus sonhos.
Mas quando me encheste a alma com a torrente
de palavras de que eu tinha sede.
E o amor brilhou em mim
As vezes me ilumina, outas me ofusca.
Sou tua de corpo e alma.

Êidina Queiroz 04\09\1990

Nenhum comentário:

Postar um comentário